quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Bodas em Caná da Galiléia.




































A Palavra diz que:




“E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia;...”






Porque ao terceiro dia? Na realidade o que precisamos entender é que esta é a Palavra de Deus, e este texto é uma profecia que o Espírito Santo inspirou ao apostolo João a escrever. Quando diz ao terceiro dia a Palavra revela que as bodas do cordeiro começou ao terceiro dia, quando Jesus ressuscitou dentre os mortos, desceu as partes mais baixas da terra, pregou no inferno, trouxe cativo o cativeiro, e apresentou-os ao Pai como: Diríamos os seus primeiros convidados, o que vemos claramente revelados no Salmo 24. E isto aparece de forma profética em João 2:2:




“E foram também convidados Jesus e os seus discípulos para as bodas.”




A segunda parte mostra-nos as Santas Escrituras um diálogo entre Maria e o seu filho Jesus:







“E, faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Sua mãe disse aos empregados: Fazei tudo quanto ele vos disser.”




Há algo de misterioso neste diálogo entre Maria e Jesus. Primeiramente aos nossos olhos parece-nos ter sido Jesus um tanto quanto áspero na sua resposta a Maria sua mãe quando Ele diz: “Mulher, que tenho eu contigo?”




Lembrando sempre que estamos tratando de uma profecia. Gostaríamos de esclarecer a luz da Palavra de Deus, que Jesus em momento algum foi áspero no diálogo com Maria sua mãe, quando Ele diz: “Mulher, que tenho eu contigo?” Na verdade Ele está provando Maria, pois Ele bem sabia que aquele era o momento, o que está em oculto neste diálogo é a necessidade de Jesus deixar claro que Maria sua mãe falava pelo Espírito Santo, e quando Maria lhe responde dizendo aos empregados que eles deveriam fazer tudo o que Ele dissesse, Jesus confirma pela boca de Maria aquilo que Ele havia perguntado: “Mulher, que tenho eu contigo?”




O que Ele e sua mãe tinham em comum era a presença do Espírito Santo, pois foi exatamente isto que Jesus desejava ouvir, pois Maria só poderia ter dado aquela resposta reveladora no poder do Espírito Santo de Deus. E neste momento Jesus recebe através da boca de Maria que estava cheia do Espírito Santo esta confirmação.




E a partir desta confirmação Jesus principia os seus sinais. O texto segue dizendo que havia ali posta seis talhas de pedras, sobre as quais falaremos mais adiante. Logo Jesus ordena que encham as seis talhas de água até a boca, o que eles fizeram. Depois Jesus manda tirar um pouco daquela água e levar ao encarregado da festa, e quando o encarregado provou a água transformada em vinho disse ao noivo: “E disse-lhe: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então, o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.”
O que nos revela esta palavra é que: o primeiro vinho que faltou é o símbolo da primeira Aliança onde era derramado o sangue dos bodes e carneiros, é o primeiro vinho representado pelo sangue destes animais. Já o segundo vinho o melhor é o pacto da nova Aliança no sangue de Jesus, o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, por isso é superior, é o melhor. Pois está escrito: “tira o primeiro e estabelece o segundo” .Hebreus 10:9 Aleluia!!!




Agora voltemos às talhas, Jesus disse: “enchei de água estas talhas, e encheram até em cima”. Estas talhas como é descrita no texto era para a purificação dos Judeus, o que compreendemos com isso é que o vinho novo que é a representação do sangue de Cristo substitui completamente tanto o vinho antigo que representa o sangue dos animais que eram derramados no antigo pacto, como também a água usada para as purificações dos Judeus, pois ele é completo e suficiente, não havendo necessidade de outros elementos físicos para a remissão dos pecados. Mais um fato a ser notado nesta narrativa é a confecção das talhas, o texto diz que elas eram de pedras, e isto nos conduz a mais uma visão poderosa da profecia contida nesta narrativa. Pois o fato daquelas talhas serem de pedras é para mostrar-nos que estas talhas representam a Rocha que é Cristo o principal fundamento da Igreja, e isto desde o principio, pois escrito está:





“Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!” Rm 11.36








"Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” Jo 1.3





Ele é o Alfa e o Omega o Principio e o Fim, por isso aquelas talhas eram de pedras. Ainda existe outra revelação profunda oculta neste texto, pois a narrativa diz que existiam seis talhas, e o porquê de seis? Como já dissemos e ainda vamos repetir ainda algumas vezes, nada nas Escrituras é obra do acaso, este é o livro profético e vivo, é a Palavra de Deus. E as seis talhas mostram-nos uma profecia contida de forma abundante na Palavra de Deus, e assim como vimos o desenrolar do numero quatro e os seus derivados, agora veremos na profecia contida na numerologia destas seis talhas. Vejamos: seis, sessenta, seiscentos, seis mil todos estes tem uma mesma linguagem profética nas Escrituras. As seis talhas representam seis tempos, que estão divididos cada um em um período de mil anos, então vemos que as seis talhas são a representatividade de seis mil anos que compreendem os dias de Adão pós pecado indo até o sexto milênio de nossa era. Vamos traçar uma cronologia Bíblica para evidenciarmos estes fatos:





Fato - Duração - Período




*O mundo antediluviano. - 1600 anos - 4004-2400 AC.



*Do Dilúvio a Abraão. - 400 anos - 2400-2000 AC.



Os patriarcas Abraão, Isaque, Jacó. - 200 anos - 2000-1800 AC.



*Israel no Egito. - 400 anos - 1800-1400 AC.



*Período dos Juízes. 300 anos 1400-1100 AC.



*A monarquia Israelita (Saul, Davi, Salomão). 120 anos 1053-933 AC.



*O Reino dividido. 350 anos 933-586 AC.



*Queda do Reino do Norte (Samaria). -721 AC.



*O exílio babilônico (Judá). 70 anos 606-536 AC.



*Restauração da Nação Israelita. 100 anos 536-432 AC.



*Ministérios dos profetas literários. 400 anos 800-400 AC.



*Nascimento de Jesus. - +- 5 AC.



*Ministério de João Batista. - 29 AD.



*Ministério de Jesus. - 3 anos - 30-33 AD.



*Conversão de Paulo. - 35 AD.



*Fundação das igrejas da Ásia Menor e Europa, por Paulo. 15 anos 50-65 AD.



*Início da revolta dos judeus contra os romanos. - 66 AD.



*Destruição do Templo de Jerusalém. - 70 AD.



*Escrito o Apocalipse (o último Livro da Bíblia, por João, o Apóstolo). - 96 AD.



*Morte de João, o Apóstolo. - 100 AD.




Usando o quadro cronológico acima, vamos buscar organizar os períodos em que viveram alguns personagens bíblicos, e com isso esclarecermos mais revelações desta profecia bíblica. Como dissemos cada talha representa um período de mil anos, o que veremos agora é quem desses personagens que vamos mostrar viveu em cada tempo.



A primeira talha corresponde ao primeiro milênio e, quem é o símbolo deste tempo é Adão, Eva, Abel, Enõs, Sete, Enoque e todos os que viveram neste tempo. Aqui veremos a marca da purificação pelo sangue através de Abel.




“E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta.” Gn 4.4




A segunda talha corresponde ao segundo milênio e o símbolo deste período é Noé, sua família e todos que habitaram neste tempo, este é conhecido como o mundo antediluviano. Aqui veremos a marca do sangue através de Noé.




“E edificou Noé um altar ao SENHOR; e tomou de todo animal limpo e de toda ave limpa e ofereceu holocaustos sobre o altar.” Gn 8.20




A terceira talha corresponde ao terceiro milênio e quem representa este período é Abraão, Isaque, Jacó, Israel no Egito, o período dos juizes e se estendendo até o rei Davi e os que viveram neste tempo. Aqui veremos o sangue através de Abraão.




“Então, levantou Abraão os seus olhos e olhou, e eis um carneiro detrás dele, travado pelas suas pontas num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho.” Gn 22.13




A quarta talha corresponde ao quarto milênio e quem representa este período é o inicio do reinado de Salomão, o reino dividido, queda do reino do norte (Samaria), o exílio babilônico (Judá), restauração da Nação Israelita e ministérios dos profetas literários. Aqui veremos o sangue através de Salomão.




“E ofereceu Salomão em sacrifício pacífico o que sacrificou ao SENHOR, vinte e duas mil vacas e cento e vinte mil ovelhas; assim o rei e todos os filhos de Israel consagraram a Casa do SENHOR.” 1Reis 8.63




A quinta talha corresponde ao quinto milênio e O representante principal deste período JESUS CRISTO , mas também João Batista, todos os Apóstolos, Maria mãe de Jesus, muitas mulheres que acompanharam ao Senhor, toda a Igreja primitiva até o ano mil depois de Cristo. Aqui vemos o sangue através do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, JESUS CRISTO, o sacrifício perfeito.




“E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.” Jo 19.30




A sexta talha corresponde ao sexto milênio e os seus representantes são todos os que nasceram a partir do ano mil depois de Cristo, entre os quais nossa geração está incluída. Aqui veremos o sangue na vida dos mártires. Henry Forest morto queimado no ano de 1527, Cuthbert Barnes, Tomás Gamet e William Jerome martirizados no ano de 1541.




“E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram a sua vida até à morte.” Ap 12.11




Portanto concluímos que, não existe outra geração milenar para ser alcançada pelo precioso SANGUE DE JESUS, e o fato de JESUS ter mandado encher as talhas até em cima, nos revelam que todos os homens que viveram e vivem desde Adão até o retorno de JESUS foram alcançados pelo seu SANGUE E, TODOS SÃO INDESCULPAVEIS DIANTE DELE, e por este motivo foi o Evangelho pregado no inferno. Portanto o milagre das bodas em Caná da Galiléia é uma profecia que envolve toda a humanidade.Existem porém muitos outros sinais proféticos relacionados com este, evidenciando claramente que estamos às portas da volta de JESUS, entretanto não trataremos destes sinais bíblicos aqui, pois pretendemos continuar a mostrar o ministério profético de JESUS E ainda existem outros mistérios contidos nesta profecia, novamente os números na bíblia tem objetivos concretos, e o que continuaremos a ver, como dissemos não haverá uma sétima talha, pois a sexta talha representa o último período da humanidade antes do arrebatamento, pois ao soar a sétima trombeta a Igreja será arrebatada a encontrar com o SENHOR nos ares.





A quinta talha mostra-nos ainda uma outra verdade oculta, representando esta o quinto milênio e o nascimento do Messias, ela confirma aquilo que estudamos acerca do numero quatro e seus derivados, ou seja, vimos Moisés sendo levantado para libertar Israel depois de quatrocentos anos no Egito, ou seja, já dentro do quinto século, vimos Davi sendo levantado por DEUS para derrotar a Golias depois de quarenta dias de afronta, e vemos JESUS se levantando depois de quatro mil anos, ou seja, no quinto milênio. Com isso percebemos que tudo está no controle do DEUS TODO PODEROSO. Outro detalhe importante a ser observado é a terceira talha que é o terceiro milênio e, quem nasce neste período é Abraão conhecido como o pai da fé, não foi por acaso que Abraão nasceu neste tempo, pois se seguirmos mais uma vez a cronologia Bíblica veremos que o numero três tem o mesmo seguimento dos demais aqui tratados, isto porque os fatos evidenciam isto, e o que de importante aconteceu no terceiro dia, como vimos a pouco as bodas começou no terceiro dia com a ressurreição de JESUS, logo este fato é o principal relacionado com este numeral três, e em que isto esta relacionado com Abraão? É simples, Abraão é conhecido como o pai da fé, pois foi justificado por ela e esta justificação se concretizou no terceiro dia quando CRISTO ressurgiu dentre os mortos, subiu ao PAI e se apresentou como Sumo Sacerdote pelo seu próprio SANGUE, justificando a todos os que o recebem pela fé, e isto prefigurou Abraão nascendo no terceiro milênio, que é figura do terceiro dia, veja:





“Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo e para que, pela fé, nós recebamos a promessa do Espírito. Irmãos, como homem falo. Se o testamento de um homem for confirmado, ninguém o anula nem lhe acrescenta alguma coisa. Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua posteridade. Não diz: E às posteridades, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua posteridade, que é Cristo” Gl. 3.14-16








Sem duvida nenhuma podemos dizer, que profecia maravilhosa neste milagre de JESUS.





Amém!







Por: Ralph Castello.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário